Kit saúde intestinal - Dr. Alex Sakata

0 Opiniões
Na compra desse produto ganhe 283Pontos Cliente Prime

Não disponível

Enviar
Avise-me quando estiver disponível
Descrição Geral

ALOE POTION ALOE POTION

Esse produto merece destaque!

O Aloe Potion é o primeiro produto da empresa!

Em 2006, a mãe do fundador Ricardo Cruz foi diagnosticada com problemas no cólon e intestino algumas semanas depois, um senhor, ao saber desta triste notícia, ofereceu ao Ricardo Cruz um produto importado que, segundo ele, já foi responsável por curar e tratar diversas pessoas nos Estados Unidos.

Sem pensar duas vezes, Ricardo Cruz comprou o produto e prometeu que se realmente trouxesse qualquer benefício a sua mãe, ele fabricaria esse produto no Brasil para que mais pessoas saibam de seus benefícios. 2 anos depois, após o consumo regular, sua mãe recebeu a notícia que havia se curado! Ricardo Cruz vendeu todos seus negócios para se dedicar à produção deste suplemento.

Registro M.S.: 6.5240.0001.0001-6
Princípio ativo Vitamina C com extrato aromático de aloe vera Fonte de Fibras
Possui calorias provenientes de fibras vegetais (celulose) Informações sobre o produto Encontram-se catalogadas mais de 200 espécies de Aloe. Deste universo, apenas 4 espécies são seguras para uso em seres humanos, dentre as quais destacam-se a Aloe arborensis e a Aloe barbadensis Miller, sendo esta última reconhecida como a espécie de maior concentração de nutrientes no gel da folha.

Foi introduzida no Brasil no início da colonização, se adaptando bem em várias regiões de nosso país .

Propriedades:

Fortalece o sistema imunológico; Auxilia na desintoxicação do organismo; Estimula os processos de cicatrização; Ajuda a proteger o corpo dos radicais livres; Tem propriedades diuréticas; Sugestão Ingerir 50 ml (1/4 xícara de chá) ao dia ou seguir orientação de nutricionista ou médico.

APÓS ABERTO MANTER EM GELADEIRA

Contra Indicação:
Em altas doses pode causar nefrite aguda. Gestantes, nutrizes e crianças de até 3 (três) anos de idade somente devem consumir este produto sob orientação de nutricionistas ou médicos. Recomendação Conservar em local seco e arejado, temperatura máxima 25°C não expor o produto ao calor nem a raios solares. Caros Doutores e prescritores, segue literatura: Alguns constituintes, como o gel de A. vera, consiste em cerca de 98,5 % a 99,5 % de água, com os sólidos restantes contendo mais de 200 componentes diferentes, sendo os polissacarídeos os compostos mais abundantes.11 Outros compostos químicos interessantes, como açúcares solúveis, glicoproteínas, antraquinonas fenólicas, flavonoides, flavonóis, enzimas, minerais, aminoácidos essenciais e não essenciais, esteróis, saponinas e vitaminas, também foram identificados.12

Potencial Terapêutico de Aloe Vera (Aloe Barbadensis):
Uma Breve Revisão Sousa, E. A. O.; Neves, E. A.; Alves, C. R.* Rev. Virtual Quim., 2020, 12 (2), 378-388. Data de publicação na Web: 7 de Abril de 2020 http://rvq.sbq.org.br

VISÃO ANTROPOSÓFICA
As ações terapêuticas da Aloe são as mesmas de todas as lili- áceas (para alguns autores, A. vera é classificada como sendo da família Liliaceae), porém com atuação mais intensa e pro- funda; é empregada para tonificar e estimular todo o metabo- lismo, como estomáquico (para sanar disfunções estomacais), purgativo, colagogo (que aumenta a secreção de bile), emena- gogo (que provoca ou restabelece a menstruação). Como uso tópico, favorece a cura de feridas e atenua a dor das queimaduras. É uma planta que combina uma for- te vitalidade a uma inflamação sulfurosa contida, à qual se soma um tórrido sol a que a planta está exposta. Reúne ativa- mente os constituintes do ser humano dissociados por doença ou ferimento, alimentando os processos metabólicos, estimu- lando a regeneração e acalmando o sofrimento.7 De acordo com o vade-mécum brasileiro de medicamentos antroposóficos,12 as indicações de A. vera são: Estímulo aos processos metabólicos, à regeneração, cica- trização de tecidos e resolução de inflamações, p.ex., para o tratamento auxiliar de úlcera péptica, gastrite erosiva, hemorroidas, erisipela, úlceras de pele e queimaduras (uso tópico), favorece o fluxo menstrual e biliar. A única contraindicação descrita ao seu uso é a hipersen- sibilidade aos seus componentes. A planta não é citada no va- de-mécum antroposófico alemão (suplemento da Revista Der Merkurstab), até sua edição de 2013.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
1. Missouri Botanic Garden. Aloe vera [monografia na Internet]. St. Louis: Missouri Botanic Garden; 2013 [Citado 2013 Ago 27]. Disponível em: www.missouribotanicalgarden.org 2. Gupta C H. Aloe Vera - The Miracle Plant [monografia na Internet]. San Diego: Fragrantica; 2012 [citado 2013 Nov 09]. Disponível em: www.fragrantica.com/news/Aloe-Vera-The- Miracle-Plant-2979.html 3. Ilustração em domínio público, disponível em: www.biolib.de 4. Yates A. Yates Garden Guide. 42a ed. Sydney: Harper Collins; 2006.Arte Méd Ampl. 2013; 33(4): 160-4.164 5. Nascimento LC. Aloe vera. Arte Méd Ampl. 2006; 26(1-2): 38-42. 6. Imagens em domínio público, disponível em: www.google. com/images 7. Pelikan W. Healing plants. Spring Valley: Mercury; 1997. 8. Alonso JR. Tratado de fitofármacos y nutracéuticos. Rosario: Corpus; 2007. 9. World Health Organization. Monographs on selected medicinal plants [monografia na Internet]. Genebra: World Health Organization; 1999[Citado 2013 Ago 27]: 43-9. Disponível em: http://apps.who.int/medicinedocs/pdf/s2200e/s2200e.pdf 10. Choi S, Chung MH. A review on the relationship between Aloe vera components and their biological effects. Semin Integr Med. 2003; 1:53-62. 11. Saccù D, Bogoni P, Procida G. Aloe exudate: characterization by reversed phase HPLC and headspace GC-MS. J Agric Food Chem. 2001; 49(10): 4526-30. 12. Gardin NE, Schleier R. Medicamentos antroposóficos: Vademecum. São Paulo: João de Barro; 2009. 13. Boericke W. Manual de matéria médica homeopática. São Paulo: Robe; 2003. 14. Vijnovsky B. Tratado de matéria médica. São Paulo: Organon; 2003. 15. Cairo N. Guia de medicina homeopática. 21a ed. São Paulo: Teixeira; 1991. 16. Eshun K, He Q. Aloe vera: a valuable ingredient for the food, pharmaceutical and cosmetic industries?a review. Crit Rev Food Sci Nutr. 2004; 44(2):91-6. 17. Wu X, Yin S, Zhong J, Ding W, Wan J, Xie Z. Mushroom tyrosinase inhibitors from Aloe barbadensis Miller. Fitototerapia 2012; 83(8):1706-11. 18. Habeeb F, Shakir E, Bradbury F, Cameron P, Taravati MR, Drummond AJ, Gray AI, Ferro VA. Screening methods used to determine the anti-microbial properties of Aloe vera inner gel. Methods. 2007; 42(4):315-20. 19. Kima J, Leea IS, Parkb S, Chouea R. Effects of Scutellariae radix and Aloe vera gel extracts on immunoglobulin E and cytokine levels in atopic dermatitis NC/Nga mice. J Ethnopharmacol. 2010;132(2): 529-32. 20. Qui Z, Jones K, Wylie M, Jia WQ, Orndorf S. Modified Aloe barbadensis polysaccharide with immunregulatory activity. Planta Med. 2000; 66(2):152-6. 21. Sampedro MC, Artola RL, Murature M, Murature D,Roth GA andKivatinitz S. Mannan from Aloe saponaria inhibits tumoral cell activation and proliferation. Int Immunopharmacol 2004; 4(3): 411-8. 22. Chandan BK, Saxena AK, Shukla S, Neelam Sharma N, Gupta DK, Suri KA, Suri J, Bhadauria M, Singh B. Hepatoprotective potential of Aloe barbadensis Mill. against carbon tetrachloride induced hepatotoxicity. J Ethnopharmacol. 2007; 111(3): 560-6. 23. Chatterjee P, Mukherjee A, Nandy S. Protective effects of the aqueous leaf extract of Aloe barbadensis on gentamicin and cisplatin-induced nephrotoxic rats. Asian Pacific J Trop Biomed. 2012; S1:754-63. 24. Misawaa E, Tanakaa M, Nomaguchia K, Yamadaa M, Toidaa T, Takaseb M, Iwatsukia K, Kawadac T. Administration of phytosterols isolated from Aloe vera gel reduce visceral fat mass and improve hyperglycemia in Zucker diabetic fatty (ZDF) rats. Obes Res Clin Pract. 2008; 2(4):239-45. 25. Vázquez B, Avila G, Segura D, Escalante B. Anti-inflammatory activity of extracts from Aloe vera gel. J Ethnopharmacol. 1996; 55(1):69-75. 26. Habeeb F, Stables G, Bradbury F, Nong S, Cameron P, Plevin R, Ferro VA. The inner gel component of Aloe vera suppresses bacterial-induced pro-inflammatory cytokines from human immune cells. Methods. 2007; 42(4):388-93.

 

O MINISTÉRIO DA SAÚDE ADVERTE: Não existem evidências científicas comprovadas de que este alimento previna, trate ou cure doenças. Consumir preferencialmente sob orientação de médico ou nutricionista. Este produto não é indicado para gestantes, nutrizes e crianças


Psyllium Pró 90 Cápsulas 500mg

PSYLLIUM: a fibra ouro da natureza

As fibras são um importante componente da uma dieta humana ideal, na medida em que promovem benefícios para os intestinos e para a saúde metabólica como um todo. Entretanto, a dieta de característica ocidentais atual está longe de prover o que nós, e nossos microrganismos intestinais, precisamos para ter o mínimo necessário diariamente.
O interesse pelas fibras na dieta surgiu no início da década de 70, com grupos voluntários na África, pelo trabalho de dois médicos ingleses, Denis Burkkit e Hugh Trowell, os quais descobriram que muitas doenças ocidentais eram decorrentes da falta de fibras. Os nativos africanos consumiam muitos alimentos vegetais íntegros (frutas, verduras, legumes, raízes), chegando a consumir mais de 100 gramas de fibras por dia, enquanto na Europa a quantidade de fibras estava em torno de 15gr/dia. Esses pesquisadores observaram que os africanos sofriam muito menos de doenças nos intestinos que os europeus, assim como de obesidade e doenças crônicas e desconfiaram que as fibras, e a microbiota intestinal, alimentada pelas fibras, exerciam importante papel no binômio saúde/doença.


Com o avanço da tecnologia para avaliação da microbiota (principalmente a partir de 2010), foi possível observar melhor o efeito das fibras sobre a ecologia intestinal (sim, nossos intestinos são um verdadeiro nicho ecológico, tal qual o cerrado ou as savanas africanas) e o papel dos microrganismos na saúde de seu hospedeiro. Em 2014, as fibras que são utilizadas como alimento pelos microrganismos intestinais ganharam uma denominação científica: MAC (sigla para Carboidratos acessíveis a microbiota) e, de lá pra cá, muitos estudos foram publicados mostrando os mais diferentes benefícios possivelmente atingidos com o consumo de fibras diariamente.
Infelizmente, a vida moderna dificulta a ingestão adequada de fibras a partir de alimentos naturais como os vegetais não processados. O consumo da dieta industrializada, excessivamente rica em produtos animais, gorduras e alimentos processados e açúcares simples, embora prática, é pobre em fibras.
Uma forma de aumentar a ingesta de fibras para o mínimo aceitável, em torno de 40 gramas ao dia para um adulto é o consumo de fibra adicionada. Nesse aspecto, uma fibra em especial, se destaca: o Psyllium.
O Psyllium é uma fibra solúvel extraída da casca das sementes da planta Plantago ovata e é conhecida por trazer vários benefícios a saúde. Além do sabor ser neutro e, portanto, facilmente adicionada na dieta diária, o Psyllium é uma fibra solúvel viscosa que resiste à digestão no trato digestivo alto, características que lhe conferem seus benefícios, que vamos conhecer a seguir.

Saciedade.
Fibras solúveis viscosas como o Psyllium podem diminuir a velocidade de esvaziamento gástrico e a velocidade de absorção de gordura e glicose, expondo regiões mais distais do intestino delgado a esses nutrientes, o que leva à sensação mais prolongada de plenitude digestiva e, desse modo, à saciedade. Estudo de 2001, por exemplo, concluiu que a ingestão de 14gr do Psyllium, distribuído ao longo do dia, às refeições, por apenas 2 dias, reduziu a ingesta alimentar em 10%, o que o torna um excelente auxiliar no tratamento da obesidade

Controle do colesterol.
Os efeitos de diminuição do colesterol conferidos ao Psyllium já foram avaliados em vários estudos. Duas metanálises reportaram uma média de 7% de redução do LDL tipo C com o consumo médio de 10gramas de Psyllium ao dia, quando misturado com a refeição. Um estudo de 2005 encontrou que a incorporação de 5gr de Psyllium 3x ao dia, com as refeições, possibilitou a redução da dose da sinvastatina (medicação utilizada para redução do colesterol) pela metade, sem prejuízo no controle do colesterol e com redução dos efeitos colaterais dessas drogas.

Efeito anti-inflamatório intestinal.
A ingestão de fibras solúveis como o Psyllium reduz a inflamação intestinal ao induzir a produção de um mediador anti-inflamatório (IL-22) e de ácidos graxos de cadeia curta, que promovem o desenvolvimento de células imunológicas do tipo T regulatórias que controlam a inflamação.
Um estudo de 2023, com ratos submetidos a uma colite experimental que receberam dieta padrão ou dieta padrão enriquecida com Psyllium, mostrou que os consumo do Psyllium ativou genes importantes nos intestinos dos ratos, envolvidos com o controle do ritmo circadiano e a secreção de ácidos biliares. A ativação desses genes protegeu-os da colite induzida. Isso mostra um possível benefício na incorporação do Psyllium por pacientes com Doenças Inflamatórias intestinais (que não exibam nenhum grau de obstrução intestinal, contraindicação da suplementação dessas fibras)

Controle da glicemia.
Uma metanálise publicada em 2015, que englobou 35 estudos randomizados publicados em 3 décadas e em 3 continentes, concluiu que a incorporação de Psyllium diariamente ajuda no controle da glicemia e o benefício é tanto maior quanto maior for a resistência insulínica do indivíduo. O provável mecanismo por trás desse efeito seria o aumento da secreção do hormônio GLP1 promovido pela chegada do carboidrato e gordura “presos” ao gel de Psyllium no intestino delgado distal (efeito “Ozempic-like”).

Regularização do funcionamento intestinal:
O consumo de Psyllium “puxa” água para o bolo alimentar no intestino delgado, hidratando o conteúdo fecal. Isso causa o amolecimento das fezes e o aumento da velocidade da passagem das fezes pelos cólons, conferindo efeito laxativo ao Psyllium. Ao contrário, pacientes com diarreia crônica causada pela má absorção de sais biliares também sentem benefícios com a suplementação de Psyllium, uma vez que a fibra diminuiria o turnover de sais biliares na luz intestinal. Essa dupla característica colocaria o Psyllium em vantagem em relação às outras fibras. Além disso, o Psyllium é fermentado mais lentamente, o que reduz a formação de gases em relação às outras fibras e aumenta seu tempo de ação para algumas horas após atingir os cólons. A associação dessas características coloca o Psyllium como um potencial agente auxiliar na prevenção do câncer colorretal.

COMO USAR PSYLLIUM?
Até 3 cápsulas ao dia. Aumentar a ingestão de água diária.

CONTRAINDICAÇÕES E CUIDADOS.
Consultar sempre um médico ou um nutricionista para o consumo. 
Aumentar a ingestão de líquidos para que não haja impactação intestinal quando em uso do Psyllium.
Nunca consumir o pó sem diluir sob risco de engasgos.
Se for consumir diluído em líquido, consumir logo após a diluição, porque formará um gel que dificultará a deglutição
Iniciar sempre com doses mínimas e aumentar devagar e conforme necessidade/ tolerância.
Se consumir remédios, sempre usar o Psyllium pelo menos 2 horas longe da medicação uma vez que ele pode interferir na absorção de fármacos.
Nunca exceder as doses recomendadas.
O efeito laxativo acontece 12 a 72 horas após o consumo das cápsulas. Se não houver melhora da constipação, consultar um médico para diagnosticar outras possíveis de causas de constipação que não estejam relacionadas a baixa ingesta de fibras.

 

Fontes:
Brum JM, Gibb RD, Peters JC, Mattes RD. Satiety effects of psyllium in healthy volunteers. Appetite. 2016 Oct 1;105:27-36. doi: 10.1016/j.appet.2016.04.041. Epub 2016 May 7. PMID: 27166077.
Moreyra AE, Wilson AC, Koraym A. Effect of combining psyllium fiber with simvastatin in lowering cholesterol. Arch Intern Med. 2005 May 23;165(10):1161-6. doi: 10.1001/archinte.165.10.1161. PMID: 15911730.
Gunn D, Abbas Z, Harris HC, Major G, Hoad C, Gowland P, Marciani L, Gill SK, Warren FJ, Rossi M, Remes-Troche JM, Whelan K, Spiller RC. Psyllium reduces inulin-induced colonic gas production in IBS: MRI and in vitro fermentation studies. Gut. 2022 May;71(5):919-927. doi: 10.1136/gutjnl-2021-324784. Epub 2021 Aug 5. PMID: 34353864; PMCID: PMC8995815.
Bretin A, Zou J, San Yeoh B, Ngo VL, Winer S, Winer DA, Reddivari L, Pellizzon M, Walters WA, Patterson AD, Ley R, Chassaing B, Vijay-Kumar M, Gewirtz AT. Psyllium Fiber Protects Against Colitis Via Activation of Bile Acid Sensor Farnesoid X Receptor. Cell Mol Gastroenterol Hepatol. 2023 Feb 23;15(6):1421-1442. doi: 10.1016/j.jcmgh.2023.02.007. Epub ahead of print. PMID: 36828279; PMCID: PMC10148163.
Gibb RD, McRorie JW Jr, Russell DA, Hasselblad V, D'Alessio DA. Psyllium fiber improves glycemic control proportional to loss of glycemic control: a meta-analysis of data in euglycemic subjects, patients at risk of type 2 diabetes mellitus, and patients being treated for type 2 diabetes mellitus. Am J Clin Nutr. 2015 Dec;102(6):1604-14. doi: 10.3945/ajcn.115.106989. Epub 2015 Nov 11. PMID: 26561625.
Jovanovski E, Yashpal S, Komishon A, Zurbau A, Blanco Mejia S, Ho HVT, Li D, Sievenpiper J, Duvnjak L, Vuksan V. Effect of psyllium (Plantago ovata) fiber on LDL cholesterol and alternative lipid targets, non-HDL cholesterol and apolipoprotein B: a systematic review and meta-analysis of randomized controlled trials. Am J Clin Nutr. 2018 Nov 1;108(5):922-932. doi: 10.1093/ajcn/nqy115. PMID: 30239559.
Sonnenburg ED, Sonnenburg JL. Starving our microbial self: the deleterious consequences of a diet deficient in microbiota-accessible carbohydrates. Cell Metab. 2014 Nov 4;20(5):779-786. doi: 10.1016/j.cmet.2014.07.003. Epub 2014 Aug 21. PMID: 25156449; PMCID: PMC4896489.

 


Cúrcuma longa 500g - Curcumaster 90 Cápsulas

Descubra o segredo da saúde e bem-estar com Curcumaster, o produto inovador da Nação Verde. Formulado com a poderosa Cúrcumina, um composto encontrado na Cúrcuma, este suplemento irá revolucionar sua rotina de cuidados com a saúde.

Ingrediente:

A Cúrcumina, ingrediente principal do Curcumaster, é conhecida por seus incríveis benefícios para o corpo e a mente. Ao escolher o Curcumaster, você está optando por um produto de alta qualidade, desenvolvido com todo o cuidado e comprometimento da Nação Verde.

 

Benefícios:

Os benefícios da Cúrcumina presentes no Curcumaster são numerosos e podem transformar sua vida. Aqui estão alguns deles:

Ação antioxidante: A Cúrcumina é um antioxidante natural poderoso, que combate os radicais livres e ajuda a proteger as células contra danos oxidativos.

Propriedades anti-inflamatórias: A Cúrcumina possui propriedades anti-inflamatórias, que podem auxiliar no alívio de dores e desconfortos articulares.

Fortalecimento do sistema imunológico: O Curcumaster contribui para o fortalecimento do sistema imunológico, ajudando a proteger o organismo contra doenças e infecções.

Suporte à saúde do fígado: A Cúrcumina tem propriedades benéficas para a saúde do fígado, auxiliando na desintoxicação e proteção desse órgão vital.

Promoção do bem-estar geral: Ao adicionar Curcumaster à sua rotina diária, você estará promovendo um maior equilíbrio e bem-estar em todos os aspectos da sua vida.

Escolha o Curcumaster da Nação Verde e aproveite todos os benefícios da Cúrcumina de forma prática e eficaz. Sua saúde e qualidade de vida merecem o melhor. Experimente agora e descubra o poder da Cúrcumina em sua jornada rumo a uma vida mais saudável e plena.

 

 

 


Glutamina KVRA - 125g com scoop

Chegou o  seu momento de vencer as suas dores no intestino, de vencer aquele resfriadinho que sempre chega junto com o frio, de ter mais energia para as tarefas do dia a dia… Sim, esse é o seu momento, porque muita das vezes temos algumas limitações em nosso organismo, por falta de suplementação, que tal mudarmos isso de uma vez por todas? Pensamos na Glutamina para te ajudar nesse processo. Vamos conhecer mais um pouquinho dela? 

 

O QUE É A GLUTAMINA KVRA?

 A glutamina é um aminoácido com várias funções importantes no organismo, sendo fundamental para o sistema imunológico, saúde intestinal e síntese proteica, sendo encontrada naturalmente em diversos alimentos e podendo ser suplementada.

 

QUAL É A IMPORTANCIA DA GLUTAMINA KVRA?

A Glutamina é um suplemento que pode te ajudar em diversos fatores, como o objetivo de saúde, estilo de vida, níveis de atividade física e necessidades individuais. 

Ela é considerada um aminoácido condicionalmente essencial, o que significa que em certas situações, como estresse físico intenso, lesões, cirurgias, infecções ou outros estados catabólicos, a demanda por glutamina pode exceder a capacidade de produção do corpo. Nesses casos, a suplementação é extremamente necessária 

 

QUAIS SÃO OS BENEFÍCIOS DA GLUTAMINA KVRA?

  • Recuperação muscular
  • Sistema imunológico
  • Saúde intestinal
  • Equilíbrio ácido-base
  • Saúde do sistema nervoso
  • Redução do catabolismo
  • Suporte para dieta restritiva

COMO CONSUMIR?

Dosagem: Indicamos de 3 a 5 gramas de glutamina 

Horário: Em qualquer horário do dia. Caso treine o ideal é de 20 a 30 minutos antes do treino

O pó pode ser misturado com água, suco ou adicionado a shakes de proteínas. 

 
Avaliações do produto

Deixe seu comentário e sua avaliação







- Máximo de 512 caracteres.

Clique para Avaliar


  • Avaliação:
Enviar
Faça seu login e comente.

Produtos visitados